segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Minha alma metade preciso de você "

 "Sei que um dia eu vou encontrar
Minha alma metade, minha felicidade, que vem para me completar, Vem me dar mil carinhos não me deixar sozinho... Um dia eu vou encontrar Alguém que em seu mundo vai me abrigar Dizer meu amor não sofra mais não Estou aqui pra preencher seu coração Sei essa demora não parece ser normal Mas pode indicar alguém muito especial Ando pelas ruas no meio da multidão Mas pareço estar só Minha procura parece ser em vão Não desisto pois eu sei que ela está bem perto Já sofri agora é minha vez por isso estou bem certo Sei que um dia eu vou encontrar Minha alma metade, minha felicidade que vem para me completar Vem me dar mil carinhos não me deixar sozinho Aumenta o desejo a chuva fina cai eu vejo Molhando os meus lábios agora eu almejo O beijo ardente, quente que vem de você Minha alma metade venha me aquecer Onde estiver me de uma dica Pode ser o perfume que vem com a brisa Qualquer coisa que faça eu te encontrar Irei até você em qualquer lugar Não desisto pois eu sei que ela está bem perto Já sofri agora é minha vez por isso estou bem certo Sei que um dia eu vou encontrar Minha alma metade, minha felicidade que vem para me completar Vem me dar mil carinhos não me deixar sozinho Minha alma metade venha me aquecer Minha alma metade preciso de você "
Imagem e mensagem retirada do Google

2 comentários:

  1. Ao passar pela net afim de encontrar novos amigos e divulgar o meu blog, me deparei com o seu que muito admiro e lhe dou os parabéns, pois é daqueles blogs que gostaria que fizesse parte de meus amigos virtuais.
    Se desejar visite o Peregrino E Servo. Leia alguma coisa e se gostar siga, Saiba porém que sempre vou retribuir seguindo também o seu blog.
    Minhas cordiais saudações, e um obrigado.
    António Batalha.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Me paso tu blog Anna de poemias es la direccion que tienes en el otro comentario me encanta tu blog.
    http://anna-historias.blogspot.com.es/2016/09/muerte.html?m=1

    ResponderExcluir